KAENGA - NALDO PEREIRA 11/08/2021

Pelo menos 13 piauienses retornaram ao município de Novo Oriente do Piauí, a 228 km ao Sul de Teresina, no último domingo (8), após terem sido resgatados de situação análoga à escravidão em Goiás, no dia 27 de julho. Eles haviam chegado ao município goiano de Jataí há algumas semanas com a promessa de trabalho.

 

“Eles receberam a proposta, que iam assinar a carteira deles lá, que eles ficariam em um hotel, receberiam alimentação e tudo. Quando chegaram lá tiveram que dormir em um alojamento, no chão, no mesmo cômodo onde a comida era feita”, relatou Anfrisio Moura, da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Piauí (Fetag-PI).

 

Anfrisio contou ao G1 que um dos trabalhadores conseguiu entrar em contato com a Fetag-PI, que contatou a Fetag-GO, que acionou as autoridades. Os trabalhadores foram resgatados durante uma operação de combate ao trabalho escravo que averiguou a denúncia.

 

“Depois de uma semana trabalhando eles pediram um adiantamento e falaram para eles que eles estavam devendo o que consumiram, que ninguém tinha ‘saldo’. Foi quando um deles entrou em contato com a gente para denunciar”, disse Anfrisio Moura.

 

Alojamento onde os trabalhadores eram mantidos em Goiás — Foto: Divulgação/SRTb - GO

 

No local onde foram encontrados os piauienses, outros 41 trabalhadores rurais foram resgatados. De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho em Goiás (SRTb -GO), eles estavam sendo submetidos a condições análogas às de escravo, na modalidade de “trabalho em condições degradantes”.

 

Ainda segundo a SRTb-GO, os trabalhadores foram levados para o estado para trabalhar na extração de palhas de milho para produção de cigarros de palha para uma empresa em São Paulo. Dentre os resgatados havia ainda três menores, com 17 anos cada.

 

Condições subumanas

 

A SRTb-GO afirmou que a contratação dos trabalhadores foi feita por intermédio de aliciadores de mão de obra e que o transporte deles foi realizado em ônibus clandestinos. “Mas foram as condições subumanas de alojamento que caracterizaram a situação como sendo trabalho em condições análogas às de escravo”.

 

Os trabalhadores estavam abrigados em uma edificação velha, onde antes funcionava um motel. Conforme a SRTb-GO, o local não dispunha de condições mínimas de higiene, limpeza, ventilação e iluminação. Além disso, apresentava muita umidade e superlotação, em um único quarto havia 13 trabalhadores.

 

“A única coisa de que dispunham era um colchão velho e sujo jogado no chão do abrigo. O local não dispunha de camas, armários, roupas de cama, locais para preparo de refeições e sequer possuía lugar para se sentar e tomar refeições”, citou a SRTb-GO em nota.

 

Trabalhadores viviam em condições precárias — Foto: Divulgação/SRTb - GO

 

Após a fiscalização, foi determinada a paralisação das atividades dos trabalhadores e os responsáveis foram notificados da situação. Também foram encaminhadas as providências para regularizar os contratos de trabalho e realizar os pagamentos das verbas rescisórias dos trabalhadores resgatados.

 

Além das verbas rescisórias, o empregador teve que arcar com os custos de retorno dos trabalhadores ao Piauí. O empregador também será autuado pela Auditoria Fiscal do Trabalho por “manter trabalhador em condições análogas às de escravo” e por várias outras infrações trabalhistas.

 

O Ministério Público do Trabalho de Goiás e a Defensoria Pública da União solicitarão ainda que o empregador pague por “dano moral coletivo” e “dano moral individual”, em audiência já designada pela Procuradoria Regional do Trabalho. Não havendo acordo, poderá ser acionado em Ação Civil Pública junto à Justiça do Trabalho.

 

Os responsáveis poderão responder ainda, criminalmente, pelo ilícito de “redução à condição análoga à de escravo”, cuja pena pode chegar a até oito anos de prisão.

 

Os trabalhadores receberam requerimento do benefício do “seguro-desemprego de trabalhador resgatado”, correspondente a três parcelas de um salário mínimo cada.

 

No próximo domingo 15/08 durante o programa Revista da Vale teremos mais informações sobre o caso.

 

 

Fonte: Portalcidademodelo.com

KAENGA - NALDO PEREIRA 18/07/2021

Na manhã deste sábado 17/07, o jornalista e suplente de vereador Naldo Pereira esteve na cidade de José de Freitas, visitando o deputado Federal Fabio Abreu, oportunidade em que conversaram sobre diversos assuntos, dentre eles a destinação de recursos para a cidade de Elesbão Veloso.

 

 

Na conversa ficou acertado entre o suplente de vereador e o deputado a aquisição de uma ambulância para o Hospital Estadual Norberto Moura.

 

 

Apesar de não ter cargo eletivo ou comissionado o jornalista Kaenga como é conhecido relata que não vai medir esforços para ajudar os elesbonenses, “sou jornalista esse é meu trabalho mas também tenho como missão ajudar minha comunidade e graças a Deus tenho essa oportunidade através do meu conhecimento e reconhecimento perante autoridades a nível estadual e federal e reverto isso pra população de Elesbão Veloso, hoje uma ambulância que tanto Elesbão precisava, mas logo logo vou anunciar mais novidades”, disse o suplente de vereador.

 

 

Já na manhã deste domingo 18/07, no transcorrer da apresentação do programa radialistico Revista Vale, programa ancorado pelo jornalista Naldo Pereira “Kaenga”,e levado ao ar semanalmente pela emissora Vale FM. O deputado federal Fábio Abreu cedeu uma breve entrevista, na qual, dentre outras coisas, o deputado federal ressaltou o trabalho e a preocupação do jornalista Kaenga com à população de Elesbão Veloso “fui solicitado pelo suplente de vereador Kaenga uma ambulância para o hospital de Elesbão e prontamente atendi pois sei da atual situação do município que sofre com a falta de ambulância. Fico muito honrado de puder ajudar os elesbonenses com esse recurso que em breve vai contemplar o município com essa ambulância” disse o deputado.

 

 

Ofício enviado ai Deputado Federal Fábio Abreu solicitando a ambulância

 

 

Acompanhem a íntegra da fala do Deputado Federal Fábio Abreu a Vale FM:

 

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 23/05/2021

Muitas pessoas as vezes confundem o trabalho da imprensa, e fazem elação com política principalmente em cidades pequenas como Elesbão Veloso.

 

 

Exemplos disso foram os últimos acontecimentos de grande repercussão na cidade.

 

 

 

RONALDO BARBOSA É INVESTIGADO POR DESVIO DE 10 MILHÕES: TV CLUBE AFILIADA DA GLOBO EXIBE MATÉRIA:  http://www.valenoticia.net/municipios/elesbao-veloso/noticias/ronaldo-barbosa-e-investigado-por-desvio-de-10-milhoes-tv-clube-afiliada-da-globo-exibe-materia

 

 

É importante esclarecer que todo e qualquer meio de comunicação sobrevive de notícias, fatos que chegam até eles de diversas formas e após apurado e comprovado é noticiado e repercutido.

 

 

No caso mais recente relacionado a operação CNPJ premiado, operação com diversos órgãos como MP, TCE, PC, PRF e PM que cumpriram 13 mandados de busca e apreensão em Elesbão veloso, Teresina e outros municípios, pessoas que não tem discernimento da magnitude de tal operação querem delegar responsabilidade a mim e ao grupo vale FM por tal fato ter acontecido.

 

 

Deixo claro, não por medo ou covardia mas sim pela verdade, era muito cômodo pra mim e até profissionalmente interessante eu como jornalista ser a pessoa que desbaratou uma quadrilha dentro da minha cidade, mas infelizmente não fomos nós os responsáveis por essa operação.

 

 

como disse no último programa, Elesbão Veloso nos últimos anos recebeu dois presentes um foi a vale FM no ar há um ano, e o outro foi a chegada do promotor José William que se não me engano já está no município a mais de 2 anos, período esse suponho eu que por ser do GAECO e juntamente com informações do TCE, já começou a investigar ações delituosas na cidade, e somente um ano depois a vale e o programa revista de vale chegaram, e como qualquer meio de comunicação do mundo, recebe informações de vários lugares, inclusive informações oficiais vindas de órgãos que usam a imprensa para dar roubusteis e notoriedade a investigações que eles julgam pertinente.

 

 

Me recordo que não foi a globo que denunciou o mensalão mas ela tinha acesso a documentos e divulgava e os repercutiam mas nem por isso foi a globo a responsável pelo mensalão ou pela lava jato, ela como meio de comunicação tinha acesso a documentos que muitas vezes vinham de dentro dos órgãos investigativos e os notícia.

 

 

É muito comum no jornalismo termos fontes, fontes essa que tem sua identidade resguardada por lei mas que repassam informações muitas vezes sigilosas mas nem por isso é o meio de comunicação ou o jornalista que denunciou ele somente trouxe um fato verídico anteriormente investigado pelo MP por exemplo.

 

 

Ao receber informações nós como jornalista temos o dever de noticiar até mesmo para não dar margem de que nós como empresa de comunicação estamos encobrindo mau feito e acobertando suspeitos de algum ilícito.

 

 

Imagina você receber um documento do TCE e não divulgar ele, no mínimo eles podem pensar é que temos algo a esconder.

 

 

Então meus amigos não se deixem levar por tendência política e achem que fomos nós os responsáveis por operação não, bem antes da rádio já tínhamos rumores que isso iria acontecer uma hora ou outra, e com a chegada da radio só usamos nossas informações e noticiamos para que a população de Elesbão ficasse ciente do que ocorria e ocorre nesta cidade.

 

 

No mais é parabenizar o ministério público na pessoa do promotor José William. E torcer para que tudo se resolva na maior tranquilidade. E que se comprovado o ilícito que os culpados paguem no rigor da lei.

 

 

Eram essas minhas palavras e assim que tivermos novidades podem ter certeza que as traremos aqui pra vocês.

KAENGA - NALDO PEREIRA 21/03/2021

No dia 25 de abril de 2020, a cidade de Elesbão Veloso, localizada a 165 km da capital do estado do Piauí Teresina, registrou o seu primeiro caso suspeito de COVID-19. O paciente foi submetido por duas vezes, a testes para diagnosticar a doença pelo HENM (Hospital Estadual Norberto Moura), ambos os testes tiveram resultado negativo.

 

 

O caso só foi confirmado no dia 26 do mesmo mês, quando o paciente já se encontrava em Teresina. Claudio Bandeira de 36 anos, acabou indo a óbito no dia 11/05, em decorrência das complicações da doença viral.

 

 

 

 

Desde de então, teve início uma série de contradições e negligências da SMSEV (Secretaria Municipal de Saúde de Elesbão Veloso.) O número de casos divulgado pela instituição de saúde não batiam com os números da SESAPI (Secretaria de Estado da Saúde do Piauí).

 

 

Ações de combate a proliferação do vírus e isolamento, assim como fiscalização e acompanhamento não eram realizadas. 

 

 

E o mais grave, a secretária municipal de saúde, da época, a Sra.  Maria Augusta, conhecida popularmente como “Tindu”, em uma entrevista a um TV da capital, chegou a acusar a própria população de serem os responsáveis por permitirem a entrada de pessoas não autorizadas na cidade.  Segundo ela as pessoas faziam isso escondidas debaixo de lençóis.

 

 

A partir daí o que se viu foi um grande número de erros administrativos, ocorridos nas gestões da SMSEV e principalmente do setor executivo do então prefeito o Sr.  José Ronaldo Gomes Barbosa “Ronaldo Barbosa”, que não tomou os cuidados necessários para conter o avanço do vírus.

 

 

As reclamações por parte da população eram muitas e os casos não paravam de crescer levando a cidade de Elesbão Veloso a ser a líder do ranking de mortes por COVID-19, por muitos meses.

 

 

A cidade chegou a ficar afrente da cidade de Valença do Piauí, que tem uma população bem maior que a de Elesbão Veloso.

 

 

Nesta última quinta-feira 18/03, o comerciante Antônio Valdir de Sousa de 54 anos, conhecido popularmente como “Valdir do bar”, se tornou a 21 (vigésima primeira) vítima da doença em Elesbão Veloso.  Assim como a primeira a do jovem Cláudio Bandeira, há mais de um ano atrás.  Segundo a família ele fez dois testes no HENM, que deram negativos. Valdir do bar, morreu um dia após dar entrada no hospital, com sintomas característicos de COVID-19, tais como: dispneia (falta de ar), tosse seca e falta de paladar e olfato.

 

 

 

 

O serviço de saúde que o atendeu informou que ele não foi transferido para Teresina por falta de leitos de UTI, para o tratamento da COVID-19.

 

 

Uma preocupação da comunidade elesbonense em relação a divulgação do dados da pandemia.  E que nos boletins divulgados pelo comitê responsável pelo combate a pandemia no município, não aparecem com os números compatíveis com a realidade que todo o território brasileiro enfrenta.

 

 

Tendo estes sido, por vários dias, divulgados sem a detecção de nenhum caso. Enquanto que os números da pandemia em todo o território nacional e inclusive em cidades circunvizinhas a nossa, crescem de forma vertiginosa diariamente. Há exemplo disso temos as cidades de Aroazes e de Valença, que estão enfrentando um pico de casos e de óbitos. Com 100% de ocupação em seus hospitais.  Até mesmo a regional de Picos está sofrendo devido ao grande número de casos confirmados.

 

 

A principal diferença entre esses municípios é a testagem em massa da população secretarias municipais de saúde.  As cidades de Francinopolis e de Várzea Grande realizaram mutirões de testagem, possibilitando assim a população tem noção exata dos casos.  E os profissionais de saúde podem acompanhar e tratar dos pacientes diagnosticados positivo.

 

 

Segundo o último boletim divulgado neste sábado 20/03, pelas instituições municipais de saúde elesbonenses. A cidade tem 595 casos confirmados com 589 casos recuperados, 21 óbitos e 06 casos que estão sendo acompanhados no momento pelas instituições de saúde.

 

 

 

 

O que estaria acontecendo em Elesbão Veloso, realmente não temos aumento de casos? ou a população não está sendo testada como deveria?

 

 

São pergunta que se respondidas a situação do município diante da pandemia poderia ser outra. Mas fica difícil de saber, pois os erros persistem.

 

 

Nesta última sexta-feira 19/03, após a 21 morte, foi colocado a uma barreira na entrada da cidade, mas não tinha ninguém monitorado.

 

 

 

 

Acompanhem um VT com mais detalhes sobre o caso:

 

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 29/11/2020

Em documento enviado à Câmara Municipal de Vereadores da cidade de Elesbão Veloso, o prefeito Jose Ronaldo Gomes Barbosa (Ronaldo Barbosa) do PP, pediu a desafetação e demolição do Açougue Público Municipal.

 

 

 

O requerimento foi encaminhado a casa legislativa no dia 08 de marco, e a justificativa para a demolição de um prédio público histórico sugerida pelo gestor, e que o açougue perdeu a sua função, e sua condição de salubridade.

 

Ainda de acordo com o documento, o prédio que existe a mais de 50 anos, prejudica a mobilidade urbana pois suas ruas laterais tem largura inferior a necessidade daquela área que é estritamente comercial.

 

E não para por ai, com relação aos funcionários que trabalham no local, o prefeito relata, através do documento que eles receberam, que os mesmos, serão remanejados para outros órgãos.

 

No entanto, os permissionários que se utilizam do espaço público para vender carnes, verduras e temperos e levar o sustento para suas famílias terão que procurar espaços privados para alugar e assim continuar a comercializar seus produtos prejudicando aqueles pequenos comerciantes que não tem recursos para isso.

 

A cidade já não tem um mercado público, que é um investimento importante, pois nele as pessoas podem trabalhar e realizar as transações comerciais locais, de compra e vendas de mercadorias e serviços e assim consigam garantir a sua renda, que e necessária para o sustento das famílias.

 

O prefeito mais uma vez pede para derrubar mais um prédio público, que já está quase que abandonado pelas instituições administrativas municipais, mas que deveria dar apoio ao empreendedorismo e a geração de emprego e renda na cidade. 

 

Na contra mão disso existem cidades como: Oeiras, Valença do Piauí, Pimenteiras Pedro II, que são famosas por preservar sua arquitetura histórica, e conseguiram dessa forma manter seu prédios históricos e ainda conseguiram gerar renda deles.

 

A cidade de Oeiras que e a cidade mais antiga do Piauí, ao invés de simplesmente expulsar os munícipes que trabalham nos prédios históricos e demoli-los, a cidade resolveu preservar seus prédios de arquitetura histórica, preservando assim sua história e suas tradições e conseguindo assim também gerar novas fontes de renda para os cidadãos de Oeiras e assim também acabou se tornando hoje uma cidade de destaque nacional, devido a preservação de seu patrimônio histórico.

 

 

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 09/08/2020

Edilberto Mendes Loiola, conhecido como "Didi" o mesmo que presta serviços contábeis para a prefeitura municipal de Elesbão Veloso-PI (PMEV), através de sua empresa (E. M. LOIOLA CONTABILIDADE). Endereço: R. Cel. Mundico Dantas, 237 - Centro, Elesbão Veloso - PI, 64 325 - 000.

 

Ele que também representa algumas bandas da região através de sua empresa (E. M. LOIOLA CONTABILIDADE), bandas essas que, venderam shows para PMEV. Através da empresa do contador da prefeitura, Edilberto Mendes Loiola empresas dele e ligadas a ele, juntas receberam quase 1 milhão de reais nos últimos 3 anos.

 

Como a do genro do contador, o Sr. Joniel Pereira da Silva, também teve contratos celebrados com a PMEV nos últimos 3 anos, pela sua empresa, JONIEL PEREIRA DA SILVA GESSO - ME, "Construgesso Drywall", com sede na cidade de Elesbão Veloso-PI, na Rua Pe. José Paulo do Rêgo, Bairro Cirino - CEP: 64 325-000.

 

No ano de 2017, já tinha contratos com a prefeitura, recebendo um valor de mais de 86.000,00 reais no período de (20 - 07 A 04 - 10 DE 2017), assim como estar exposto no portal da transparência do município. Para a manutenção e conservação de estradas de vicinais no município de Elesbão Veloso, e que depois de se passado pouco mais de 3 anos dessa última gestão do prefeito o Sr. Ronaldo Barbosa, a empresa ligada ao contador já recebeu mais de meio milhão de reais.

 

Seu último contrato com a PMEV, foi o Contrato Administrativo Nº 023/2020, para a realização destes serviços, aonde a empresa recebeu no período de (07 - 01 A 19 - 06 2020) o valor de mais 115.000,0 R$, segundo notas de empenho no portal da Transparência da PMEV.

 

Empresas ligadas a contador da PMEV, que recebem esses altos valores de mais de meio milhão de reais nos últimos três anos, descumprem algumas regras do contrato acima citado Nº 023/2020, segundo a CLAUSULA TERCEIRA - PREVER AS CONDIÇÕES DE PAGAMENTOS, em que uma destas seria o recolhimento de (FGTS-GRF) e comprovantes de quitações. Em que prever um quadro de funcionários, para realização desses serviços.

 

Juntos o contador da PMEV, Edilberto Mendes Loiola o "Didi" e seu genro Joniel Pereira da Silva, receberam um valor de quase 1 milhão de reais da PMEV, através de suas empresas, algumas dessas que não dispõem se quer de funcionários, para a realização das atividades que foram contratadas.

 

Na planilha abaixo, notas de empenho de pagamento da PMEV, último contrato firmado da prefeitura com a empresa, JONIEL PEREIRA DA SILVA GESSO - ME, "Construgesso Drywall", pode-se, confere estes valores e as cláusulas estipuladas no contrato.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 29/07/2020

Em foto que circulou nos grupos de Whatssap, redes sociais, da situação o comerciante Antônio Valdir de Sousa de 54 anos, aparece ao lado do médico Arthur Paes Landin e do enfermeiro Geny Broca, e segundo o próprio comerciante foi utilizada de forma maldosa por eles com intenções políticas. 

 

 

O comerciante procurou a reportagem do Grupo Vale de Comunicação para esclarecer o fato, ele disse que por ser comerciante não pode negar foto aos clientes, mas não autorizou a sua veiculação, fato esse que é crime.

 

Valdir do Bar, como é conhecido na cidade de Elesbão Veloso-PI, classifica a divulgação da sua foto nas redes sociais, para fins políticos, como uma total falta de respeito. E que em momento algum durante a conversa que teve com  médico Arthur Paes Landin e o enfermeiro Geny Broca, que são pré-candidato pelo grupo da situação, ele declarou apoio aos mesmo.

 

Um grupo político que tem como pré-candidato a prefeito um advogado, que é conhecedor das leis, mas acabam cometendo uma Fake News, hoje dia 29-07-2020, foi publicado um vídeo alertando sobre fake news pelo grupo do pré-candidato a prefeito Rafael Malta Barbosa,  os mesmo acabaram cometendo ato criminoso contra o comerciante da cidade de Elesbão Veloso, o Sr. Valdir Pompeu, conhecido como "Valdir do Bar".

 

Fake News,  o projeto de lei 2.630/2020, que busca combater a disseminação de informações falsas na internet, as chamadas fake news, foi aprovado no Senado  (30/06/2017). O projeto recebeu 44 votos a favor e 32 contra, visando o combate a disseminação de informações falsa na internet.

 

Segundo o artigo:
Art. 1º O Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal, passa a vigorar acrescido do seguinte art. 287-A:
Art. 287-A – Divulgar informação ou notícia que sabe ser falsa e que possa modificar ou desvirtuar a verdade com relação à saúde, segurança pública, economia ou processo eleitoral ou que afetem interesse público relevante.
Pena – detenção, de um a três anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.
§ 1º Se o agente pratica a conduta prevista no caput valendo-se da internet, redes sociais ou outro meio que facilite a disseminação da informação ou notícia falsa: 
Pena – reclusão, de dois a quatro anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.
§ 2º A pena aumenta-se de um a dois terços se o agente divulga a informação ou notícia falsa visando obtenção de vantagem para si ou para outrem.

 

 

CONFIRA O ÁUDIO ABAIXO:

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 26/07/2020

Segundo o portal de notícias T4, o prefeito da cidade de Elesbão Veloso José Ronaldo Gomes Barbosa, diz que vai responder nas urnas aos ataques que teriam sido feitos por adversários políticos. Tratando a população da cidade de maneira autoritária, como, se um gesto público não devesse explicação a sociedade.

 

 

O município que passa por vários problemas administrativos, como, falta de soro antiescorpiônico no hospital estadual Norberto Moura, que é gerido pelo município e que recentemente foi palco da morte da jovem Caroline Mendes, de 17 anos, morreu após ser picada por um escorpião, pois, hospital não disponha do soro que poderia ter salvo a vida da jovem modelo.

 

A cidade que apresenta um dos piores resultados na educação no estado do Piauí, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), das 224 cidades do Piauí, somos 186.ª e das 14.ª da microrregião valenciana somos 13.ª em desenvolvimento da Educação Básica do Município, com apenas 3,8 pontos.

 

Sendo também uma das piores no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), na microrregião valenciana, sendo a 8.ª cidade das 14 da microrregião em desenvolvimento econômico e trabalho. E Enquanto o índice de desemprego no Brasil é de 13%, o de Elesbão Veloso tem mais de 90% de índice. Apenas 6,8% da população tem alguma ocupação oficial. Além da população da cidade e interior viverem com menos de meio salário mínimo que nos dias atuais, em torno de R$520,00.

 

O prefeito da cidade que foi denunciado por paciente, que foi infectado pelo vírus da COVID-19, e passou 21 dias, internado no Hospital Justino Luz em Picos-PI, após receber alta médica, não teve assistência da Secretaria Municipal de Saúde de Elesbão Veloso-PI. Tendo que pagar 450,00 reais do seu próprio bolso para traze-lo até a sua casa. Secretaria que faz parte do governo do Sr. prefeito Ronaldo Barbosa.

 

A prefeitura que sobre a sua gestão foi denunciada sobre o caso, JAQUELINE SOARES DE SOUSA – MEI, que recebeu da prefeitura municipal de Elesbão Veloso a quantia de R$ 70.400,00 reais, para segundo a secretaria de cultura realizar eventos culturais entre 2019 e 2020, que não foram comprovados por meio de documentos e a sede da empresa contratada se dava em casa abandonada na cidade de Elesbão Veloso-PI.

 

Casos como print de uma folha de ponto datada de novembro de 2019 alardeava que o filho do prefeito Ronaldo Barbosa, Ronaldo JR, teria um emprego no Detran de Elesbão Veloso, com salário de R$ 4.000,00 e que era um funcionário fantasma, o que não foi esclarecido até agora para a população através de documentos que comprove que realmente ele dava expediente no órgão, como, folha de ponto.

 

Em meio a sucessivas denúncias e problemas administrativos que o prefeito da cidade de Elesbão Veloso, Ronaldo Barbosa é questionado, segundo o portal de notícias T4 com publicação feita na data de 20-07-2020, onde a mesma diz que o prefeito da cidade fala que irá responder nas urnas os ataques dos adversários. Mostrando uma postura autoritária aonde o mesmo como gestor público não devesse explicação para a população do seu município.

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 26/07/2020

LIVINA SILVA SOUSA MALTA BARBOSA, recebeu o valor de 50.284,80, da prefeitura municipal de Elesbão Veloso-PI. Ela que é esposa do pré-candidato a prefeito na cidade de Elesbão Veloso, Rafael Malta Barbosa, segundo documentos que foram publicados no portal da transparência do município o valor foi pago por serviços que teriam sido prestados pela médica.

 

 

Serviços esses que seriam, consultas ginecológicas especializadas a pacientes encaminhados pelo Fundo Municipal de Saúde-FMS. E mesmo em meio uma grave pandemia que vivemos, causada pelo vírus da COVID-19, os serviços não teriam sido paralisados e a médica Lívina Silva Sousa Malta Barbosa, continua recebendo valores repassados pela PMEV.

 

O que chama atenção é que em um período pouco mais de três, meses a médica recebeu uma quantia de mais de 50 mil reais, em serviços de obstetrícia e consultas ginecológicas da prefeitura municipal de Elesbão Veloso-PI, o que indica um volume muito grande de consultas e procedimentos obstétricos, justamente em um momento em que o município passa o período de isolamento e distanciamento social.

 

Que se encontra em meio uma grave crise de saúde causada pelo vírus da COVID-19, aonde a população passa por um período de isolamento e distanciamento social. Mesmo diante de todas essas restrições, a médica (Lívina Silva Sousa Malta Barbosa), prestou serviços médicos a PMEV que custaram até o momento 50.284,80 aos cofres da cidade.

 

 

Fica a pergunta que foram essas pessoas atendidas? Qual o local que estar sendo feito o atendimento dessas pessoas? Essas pessoas estão sendo atendidas em Elesbão ou Teresina? E porque o serviço não foi paralisado em meio ao pico da pandemia na cidade?

 

 

 

 

 

KAENGA - NALDO PEREIRA 19/07/2020

Os Vereadores Paulo França do "PL", Pinto Moura do "PT", Fernando Moura do "PL" e a vereadora Elizeth Cavalcante do "PL", protocolaram no dia 15-07-2020, junto a Câmara Municipal de Elesbão Veloso-PI, um requerimento onde solicita anulação da sessão do dia, 9 de julho de 2020, por não estar em conformidade com as normas vigentes.

 

Segundos os vereadores que solicitaram a anulação da sessão, a mesma teria sido convocado às pressas, não respeitando o prazo de 5 dias como está previsto no Art.171 na Lei Orgânica do Município que prever a comunicação por escrito aos vereadores de maneira antecipada.

 

Houve também a violação do artigo 3.º, aonde não teve convocações prévias, pauta da sessão, deliberações, atas e debates ocorridos no ambiente deveriam ser tornados públicos pelos mecanismos oficiais de informação virtual do Poder Legislativo (site), não foram devidamente publicados.

 

 

E também, nessa mesma sessão foi lido um ofício do prefeito municipal de Elesbão Veloso-PI, o Sr. José Ronaldo Gomes Barbosa, em que o mesmo diz ser de responsabilidade do poder legislativo do município, a não aprovação do reajuste de 12,84% que seria dado aos profissionais da educação.

 

Reajuste que era pra ter começado a ser pago aos profissionais da educação, desde janeiro deste ano. A exemplo de municípios vizinhos como são Felix-PI, que já faz o pagamento de tal reajuste para a categoria, o gestor municipal tentou nessa sessão convocada de maneira irregular, através de um ofício justificar essa não aprovação do reajuste de 12,84 aos profissionais da educação do município.

 

Esse total abandono por parte do poder executivo municipal com a educação e a falta de valorização dos profissionais de educação do município, faz com que Elesbão Veloso-PI, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), das 224 cidades do Piauí, somos 186.ª, e das 14.ª da microrregião Valenciana somos a 13.ª em desenvolvimento da Educação Básica do Município, com apenas 3,8 pontos, sendo considerados uma das piores educação do Brasil.