MUNDO JOVEM
Mundo Jovem na Vale: Jovem no Mercado de Trabalho e as ISTs 09/12/2020

O Jovem no Mercado de Trabalho

 

No programa Mundo Jovem desta segunda feira 07/12 foi abordado o tema “O Jovem no Mercado de Trabalho” com a participação de João Neto Gomes, ele é engenheiro civil e atua à dois anos no mercado de trabalho. Uma das principais pautas foi a falta de experiência e maturidade que é considerado o principal fator para as empresas não contratarem os jovens. É observado que por não se ter experiência, o que levaria a ter que ensinar como se faz a função e explicar mais detalhadamente, muitos empresários recusam esse pedido por um emprego. Levando em conta também a falta de maturidade, onde há o medo dos jovens não terem compromisso ou responsabilidade para exercer a sua função com eficácia.

 

 

Uma das perguntas feitas ao entrevistado foi: Qual foi sua maior dificuldade para ingressar no mercado de trabalho? Em resposta, João Neto afirmou que procurou uma vaga de emprego em algumas empresas, mas com recusas justamente por ter, na época, acabado de concluir o curso de engenharia civil, ou seja, não tinha experiência na profissão. Ele trabalhou um ano como autônomo e abriu sua empresa a “JG Engenharia” que completa um ano de funcionamento.

Outra barreira comum que causa a dificuldade do ingresso do jovem no mercado de trabalho é a escolaridade que afeta muito na hora da contratação feita pelas empresas. Entre um candidato que possui apenas o ensino médio completo e outro que possui uma graduação, o contratante possivelmente escolherá aquele com maior conhecimento. A escolaridade é algo importante para se decidir quem irá ser contratado, devendo ser visto pela sociedade como algo essencial para ingressar no mercado de trabalho.

Em resposta a pergunta: Qual a mensagem que você gostaria de deixar para os jovens que estão ingressando no mercado de trabalho? O engenheiro civil disse " É preciso ter foco no seu objetivo, não se desviando daquilo que você quer e sempre mantendo a persistência"

 

ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis)

 

 

O segundo participante da noite de segunda feira (07/12) foi Herbert Moura, ele é Enfermeiro e especialista em Enfermagem Obstétrica. Muitas Dúvidas foram tiradas e conceitos esclarecidos! Um dos questionamentos feito por um ouvinte foi “Como os pais devem conversar com seus filhos sobre AIDS, HIV, e assuntos relacionados à relações sexuais?” O enfermeiro afirmou que é importante que haja uma boa relação entre pais e filhos, onde os pais transmitam confiança necessária para que os filhos se sintam a vontade para tirarem suas dúvidas e consigam conversar sobre qualquer assunto. 

 

HIV ou AIDS ? Qual é a diferença?

HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) é o vírus causador da AIDS, que ataca células específicas do sistema imunológico (os linfócitos T-CD4+), responsáveis por defender o organismo contra doenças. Ao contrário de outros vírus, como o da gripe, o corpo humano não consegue se livrar do HIV. Ter HIV não significa que a pessoa desenvolverá aids; porém, uma vez infectada, a pessoa viverá com o HIV durante toda sua vida. Não existe vacina ou cura para infecção pelo HIV, mas há tratamento.

AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é a doença causada pelo HIV, que ataca células específicas do sistema imunológico, responsáveis por defender o organismo de doenças. Em um estágio avançado da infecção pelo HIV, a pessoa pode apresentar diversos sinais e sintomas, além de infecções oportunistas (pneumonias atípicas, infecções fúngicas e parasitárias) e alguns tipos de câncer. Sem o tratamento antirretroviral, o HIV usa essas células do sistema imunológico para replicar outros vírus e as destroem, tornando o organismo incapaz de lutar contra outras infecções e doenças.

 

Como ocorre a transmissão do HIV?

A transmissão do HIV se dá por meio de relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas, materiais perfurocortantes contaminados e não esterilizados e por meio da transmissão vertical durante a gravidez, parto e/ou amamentação, quando não tomadas as devidas medidas de prevenção.

Aproximadamente 866 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e, a cada ano, são registrados cerca de 40 mil novos casos de HIV, principalmente entre os jovens. Muitas pessoas ainda desconhecem o seu status sorológico; por isso, é necessário que todos os indivíduos com vida sexual ativa façam a testagem regular para o HIV. Além disso, é importante conhecer as formas de transmissão e prevenção ao HIV.

 

Prevenção

Para evitar a transmissão da aids, recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais, bem como testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão. Além disso, as mães infectadas pelo vírus (HIV-positivas) devem usar antirretrovirais durante a gestação para prevenir a transmissão vertical e evitar amamentar seus filhos.