Mundo
Promotores pedem prisão de homem de 101 anos que atuou como guarda nazista 19/05/2022

Promotores do estado de Brandemburgo, na Alemanha, estão pedindo a prisão de um idoso de 101 anos que atuou como guarda de um campo de concentração durante o regime nazista. Identificado como Josef S., o homem é a pessoa mais velha a ser acusada de cumplicidade em crimes de guerra durante o Holocausto.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

O julgamento de Josef foi iniciado no fim do ano passado e ele é acusado de "cumplicidade na morte" de 3.518 prisioneiros no campo de Sachsenhausen, perto de Berlim, onde atuou de 1941 até 1945. Para as autoridades, o homem participou "conscientemente e voluntariamente" do assassinato de judeus, ciganos, homossexuais e opositores do governo. 

Apesar das comprovações, o idoso declarou-se inocente, afirmando que não fez "absolutamente nada" no campo de concentração e que não tinha conhecimento dos vastos crimes que ocorreriam no local. 

"Você aceitou a desumanização das vítimas e aguentou isso. Não acredito nessa história de 'não sabíamos de nada'", disse o promotor Cyrill Klement ao acusado. Segundo ele, as alegações contra o idoso incluem a participação na "execução por fuzilamento de prisioneiros de guerra soviéticos" e a implantação do "gás venenoso Zyklon B" nas câmaras de gás de Sachsenhausen.

Após a nova audiência, os promotores disseram prever um veredicto no início do próximo mês. Se condenado, no entanto, é improvável que Josef seja preso devido à idade avançada.

Nos últimos 10 anos, a Alemanha julgou e condenou quatro ex-membros das SS - organização paramilitar ligada ao Partido Nazista -, ao ampliar para os guardas dos campos e para outros executores das ordens nazistas a acusação de cumplicidade por assassinato. O objetivo é demonstrar a severidade da justiça, considerada, no entanto, tardia pelas vítimas.

+ Sobreviventes do Holocausto fogem da Ucrânia em meio à invasão russa

Além do caso de 2011 contra John Demjanjuk, os promotores alemães também levaram a julgamento Oskar Gröning, o "contador em Auschwitz", e Reinhold Hanning, guarda da SS em Auschwitz. Gröning e Hanning tinham mais de 89 anos quando condenados, mas morreram sem cumprirem suas penas.

 

 

 

Fonte: SBT News.com